14 de maio de 2012

Não é crime ser autêntico!


Já pararam pra pensar o quanto é difícil se revelar? Nem as fotografias da sua câmera se revelam sozinhas (que piada mais fail, dona!). Bem, não é desse “se revelar” que estou falando, mas também é válido e vai explicar o que despertou em mim essa vontade de contar ao mundo (ou quase) tudo por um ponto de vista totalmente Is.

Cá eu me encontro sem internet, sem sono, sem ânimo para o meu próprio aniversário (já contei que completo dezoito anos na próxima Terça? Iupi!) e o pior de tudo: sem nenhum bendito remédio que me faça dormir. Como é ruim não conseguir dormir! Quero, preciso, necessito, quero, preciso e é necessário que eu tenha uma boa noite de sono agora. Pode ser, garçom?

Até que a falta de sono me ajudou. E muito! Fazia um tempinho que eu não acompanhava a Disney e seus lançamentos. Na verdade, desde a saída da Demi da Disney, eu percebi que não havia mais nada que me chamasse a atenção... peço minhas desculpas sinceras pelas próximas linhas, mas que saudades eu sinto do pacote completo de High School Musical e de quando os Jonas Brothers eram meus lindos, fofos e amáveis e não três irmãos talentosos, sendo um deles um novo Backstreet Boy heartbreaker (essa foi pra você Joe!).

Continuando... pois bem, como não consegui dormir, optei por mudar de canal centenas de vezes até escolher a Disney como verdadeiro sonífero. Esse foi o pior erro ever! Quem diria que eu ia conseguir escrever loucamente e as duas da manhã por conta de um filme? E da Disney? Jamé!

No elenco, Debby Ryan (mon amour, eu tenho ciúmes dela até hoje!) e mais outros personagens bem peculiares e que não reconheço de outras séries ou filmes Disney, o que é legal. Um viva para o pessoal da Disney que está dando chances para uma nova geração talentosa garantir seu próprio espaço. Um viva mesmo!

No filme, Debby interpreta uma das meninas mais tímidas do mundo que guarda um segredo: ela é a rebelde da rádio, a garota mais influente do colégio e que vira o lugar de ponta-cabeça. Enfim, assistam... não quero bancar o spoiler! Eu sei que pode parecer bobo e tudo mais, mas algo nesse filme me fez chegar até aqui, sem esquecer que isso não é hora para ligar o notebook. Mas é que eu fiquei pensando... até quando vou ficar calada?

Lembrei muito de mim assistindo ao filme. Você pode até jurar de pés juntos que não sou tímida, até porque sou uma professora e lido com pessoas diferentes todos os dias com a maior espontaniedade do mundo. Mas aí é que está o problema... é como se a professora fosse a Dj e eu a timidamaníaca. Conseguem entender? Não?

Por fim, vale à pena ressaltar que o que filme despertou em mim foi o que eu vivi escondendo na minha própria cabeça. Tudo que eu precisava era de um empurrãozinho, de uma ajuda... a ajuda da qual eu precisava para me revelar.

E que tal você fazer o mesmo? Esse é o momento.

Nunca é tarde para sermos quem queremos ser. Não tenho mais medo em admitir que tenho problemas em ser eu mesma por conta da timidez, mas que hajo naturalmente como uma professora adulta e centrada. Sem falar que amo casacos masculinos, grandes e quentinhos! Mas o que eu quero saber realmente, é se você ainda tem medo.

Roube um pouco de coragem do vizinho, afinal não é crime ser autêntico.

3 comentários:

Morgânia Almeida disse...

Lindo texto flor, e parabéns pelo seu dia, te mandei algumas mensagens mas vc não respondeu, responda tá, bjs!

Andressa Ribeiro disse...

Adorei o texto, também sou tímida e pouquíssimos enxergam esse meu lado. Mas, tem horas que a coragem vem e como você mesma disse, nos revelamos. <3

Garotas do Século disse...

aaadorei, nunca é tarde para sermos quem queremos ser!! isso mesmo *-*

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo