13 de junho de 2012

Alice e o chapeleiro, ops a fotógrafa maluca

Na última semana, o que não ficou faltando foi acontecimento digno de ser contado. Não que eu tenha conhecido algum príncipe ou celebridade em destaque, mas vá saber... talvez, meu caros e prováveis leitores, vocês não se interessem pelos próximo parágrafos. Talvez e quem sabe um dia, vocês venham a se interessar.

O mundo dá centenas de voltas. Tantas voltas, que acabei por parar no País das Maravilhas. E para a minha sorte, com a câmera para que eu pudesse registrar cada detalhe mínimo que fosse.

Como eu estava relatando, na semana passada recebi um convite irrecusável: ser (pela primeira vez em toda a vida) fotógrafa de um evento. E não um evento qualquer, e sim uma festa de quinze anos! Não preciso nem expressar em smiles o quanto eu pirei com a idéia, não é?

De primeira, eu fiquei assustada com tanta responsabilidade. Pensei em não aceitar, inventar a doença que fosse! Mas a fofa da aniversariante (a.k.a. Lyvia), foi tão otimista quanto a idéia que eu logo voltei a acreditar em mim. E foi aí que iniciei a jornada em direção ao país das maravilhas, bem perto do meu futuro como fotógrafa.

A noite começara bem com minha pontualidade britânica. Não perdi tempo e corri para o ambiente da festa, onde comecei com os clicks antes que os convidados chegassem. Tudo muito meigo e impecável! Quase pude ouvir a trilha sonora de Alice ecoar por cada enfeite e parte da decoração.

Antes que vocês duvidem de mim, a Lyvia também teve sua hora. Meu ajudante (a.k.a. Edu) bem sabe também o quanto ela estava “causadora”! Era tudo tão convincente que, sem querer, chamava ela de Alice. Loucura minha... é a idade!

Tinha Chapeleiro tímido, crianças fofas correndo pela pista de dança e eu com um sorriso maior que o da Demi. E nesse meio tempo, a maioria dos convidados já tinham aparecido como em um passe de mágica.

Haja coragem e falta de timidez.

Lembro de ter comentado com a mãe da aniversariante e com algumas pessoas, que a diferença causa impacto nas pessoas. Costumo observar a forma de trabalhar de alguns fotógrafos e, sinceramente, acho tudo tão boring, preto e branco, e derivados que não tem graça alguma posar para uma foto tão importante.

O que ninguém, repito NINGUÉM esperava é que eu fosse tão receptiva! Elogiei, brinquei e deixei os convidados à vontade com a minha presença e a da câmera. Sempre terão os tímidos, isso é fato, mas até eles fizeram questão de sorrir para mim. Se existe melhor presente que esse, por favor, não deixem de me avisar pelos comentários. Grata.

Fiquei imaginando aqui uma fotógrafa com roupa vintage, penteado trançado e batom vermelho sorrindo sem parar para mim. De fato, admito que talvez eu tenha sido uma novidade.

Graças aos céus, não pude contar nos dedos quantos foram os momentos de descontração. Os convidados eram verdadeiros modelos, mesmo que preferissem elogiar a câmera e a mim! E eu dizia de mesa em mesa: “A mágia é toda de vocês, não do aparelho. Muito menos minha!”.

A festa foi pra lá de emocionante! E de forma resumida, ainda quero agradecer a Lyvia e a todos que até de forma indireta me ajudaram. Sem vocês, eu ainda estaria aqui do outro lado da tela do notebook bancando a medrosa. Trancada no quarto, ouvindo música e pensando no próximo post.

Quer conferir um pouco mais do que rolou no País das Maravilhas? Visite o meu Flickr e boa sorte!

4 comentários:

Morgânia Almeida disse...

Parabéns amiga, ficaram lindas as fotos, bjs!

Sushi disse...

Really cute photos! Love your Alice in Wonderland costume x Sushi

Brenna Araújo disse...

Mano, eu tava no site da capricho e vi essas fotos, e vi na fonte seu nome HAUHAUHAU, deve ser uma honra ir para o site parabéns pelas suas fotografias lindas dmmmmmmmmmms

http://saladadefrutasbr.blogspot.com.br/

Yasmin Mello disse...

Nossa que fotos lindas!
Um sonho essa festa!
Me senti no pais das maravilhas vendo as fotos imagina quem estava lá.
Muito lindo seu trabalho.
Beijos.

http://www.6dejulho.wordpress.com

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo