11 de setembro de 2013

diferente coisíssima nenhuma


Deveria ter um aviso, sei lá, qualquer coisa. Como eu não percebi? Estava lá, bem na minha fuça e mesmo assim, quem disse que eu reparei? A. Culpa. É. Sua! E se a carapuça serviu, é melhor você parar a música e continuar lendo, porque eu tenho uma lista de coisas a serem ditas, que estão engasgadas... imagina o sufoco: borboletas dançando harlem shake no estômago, enquanto estou engasgada.

Tudo bem, tudo bem. Como Brandon Flowers canta, it was just a kiss

Mas pera lá! How did it end up like this?

Ouviu alguma coisa aí? Ainda continua ouvindo, né? Mas não é qualquer música. Minha praga deu certo! Aquela música que eu fiquei cantarolando quando você me abraçou, bem forte mesmo, ficou na sua cabeça e agora a situação é bem pior que qualquer show das poderosas, se é que você me entende. É quase como se minha voz substituísse a da vocalista, quase um cover. Uma praga de cover. Ou um cover em forma de praga?

Vê? Eu já nem sei mais o que eu estou falando, digitando, escrevendo, sei lá! Você me deixou muito irritada! Triste! Com um mix de feelings que me fez capaz de matar meio mundo por nenhum motivo e no final, me matar. Mas só de chorar mesmo. Isso tudo para não dizer que eu fiquei mesmo foi puta da minha vida.

Foi mal mãe, parei de xingar na internet. E em casa também.

Você. Não. Faz. Ideia. Do quanto eu te xinguei nos últimos dias. Sua orelha ficou roxa ou qualquer coisa parecida? Xinguei você na cozinha quando queimei o dedo e no quarto quando bati o dedinho no armário. Xinguei você até no caminho, indo para o trabalho. Por que aquele viado não parou para eu atravessar? Tudo culpa sua, seu.... enfim, o horário me permite, mas nada de baixaria.

Blog de mocinha em três, dois...

Voltemos ao meu estado menininha de dezenove anos na cara, chorando ao assistir a sessão "dor de cotovelo" da sessão da tarde, do SBT, do Telecine Pipoca e até da Disney.

Eu já disse que a culpa é sua? Eu já disse o motivo?

Não... então, continua aí mais um pouco.

Acho que foi perfeito. Ah, e como foi... você tem que saber que faz totalmente o meu tipo. Não me decepcionou em nada, nem nas malditas manias de fazer com que eu morra de rir na frente de todo mundo. Eu não me importei de parecer uma retardada para o resto das pessoas, porque eu me senti. Mas aí o que você fez?

Ferrou com a porra toda. E adivinha quem ficou "p" da vida de novo?

Você me deu confiança, beijos engraçadinhos e frases encantadoras como "você é de real ou veio de um conto de fadas". Segurou minha mão e afirmou que eu era linda, mesmo ignorando o fato de eu estar dentro de um jeans maior que o meu quadril. Eu não precisei ser perfeita, para ser perfeito.

Ganhei tudo que uma mocinha da Disney merecia. E sabe mais? Ganhei também duas ou mais mensagens visualizadas e não respondidas depois de dias, então, se quer saber... não estou surpresa.

Não mesmo.

Um comentário:

Fred Alencar disse...

Cara! o que eu mais gostei até hoje.

Parabéns mesmo!

"Tipo assim", muito mesmo.


comdoses.blogspot.com



Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo