31 de dezembro de 2012

Carta pra você (2012-2013)

Sem título

Olá! Aposto que não esperava ler minhas palavras tão cedo, não é? Só sei reclamar da falta de inspiração rotineira, mas acabou que mais uma vez fui surpreendida pela mesma e resolvi escrever-te para saber como andam as coisas.

Então, como vai você? Conseguiu terminar de ler aquele livro de tantas não sei quantas páginas? Mas e o seu livro, quando vai publicar? Já tem gente querendo garantir lugar na fila de autógrafos e você aí. Guardando tudo pra si. Toda essa genialidade que você nunca vai admitir ter, mas que precisa ser lida pelos que te admiram. Ainda mais por todos que inspira. E um cadinho mais, por todos que te amam. Vê se larga esse bloqueio e tire as notas da gaveta! Vê se publica no máximo até 2014.

Como estão as coisas no trabalho? Espero que ainda esteja vivenciando horas incríveis ajudando seus alunos não só com inglês, mas com conselho amigos e até maternos. Vai treinando, hein! Não se esqueça de chegar quinze minutos antes, viu? Você não precisa viver correndo. Faz muito mal ao seu coração e você sabe.

E quanto aos amigos? E o forasteiro que trocou olhares com você? Ele já te achou e pediu seu telefone? Lembro que você perdia horas dizendo que deveria ter sido menos intimidadora e mais gentil. Mas você é. E os dois. Façamos o seguinte: anote para 2013 que você deve se arrepender do que fez, e não do que não fez. Porque você sofre. E como sofre! Chega até chorar por se achar tola e despreparada pra essa vida que você leva que é cheia de surpresas e ironias. Lembro de você ter comentado o quanto parece viver dentro de uma das séries da Warner. Insano, não? Mas é a sua verdade.

Continue com as notas exemplares na faculdade. Comece a se alimentar melhor. Pare de roer as unhas, mulher! E pare de esconder suas mãos dentro de seus casacos também. Tudo bem ser tímida, mas ter vergonha das próprias mãos é se odiar demais. Você é linda! E se duvidar disso como tem feito desde que nasceu, vá até o espelho e repita isso até se sentir no mesmo patamar que uma de suas divas. Este é o seu mantra para o ano novo.

Quantas vezes deixou seu coração na mão de um irresponsável, esse ano? Ele quebrou, não é? E tantas e tantas noites limpou suas lágrimas no edredom, na manga do casaco e com os cabelos cacheados. Cansou dos alisamentos da vida, é? Achei seu visual natural tão mais legal, que até rimou.

Eu sei que você sofreu, mas nossa, fiquei sabendo que riu tantas vezes de chorar que pensou até que ia bater as sapatilhas de balé! Vê se pode, guria? Seu avô teria dito que você ainda tem muitas gargalhadas e vida pela frente. Aliás, seu avô manda lembranças e algumas matérias de jornal bem interessantes. Aliás, já leu um pouco hoje? Isso te ajuda na hora de escrever, não se esqueça.

Lembra daquele cara que você falou? Aquele que tem tudo a ver com você? Eu o vi passar outro dia e, realmente, não tem como não lembrar de você olhando pra ele. Realmente parece ser muito especial! Mas e ele? Já reparou em você? Fico na torcida, afinal, quantas vezes a gente tem na vida? Na verdade, quantas chances? Ele sabe que você pode partir no dia seguinte e nunca mais voltar? Nem mais te ver? Espero que ele chame você pra um café e pergunte sobre sua vida. Quem não se interessaria em ouvir suas histórias fantásticas, não é? Vai por mim, não tem como ele não gostar de você. Por mais que você mesma duvide das suas qualidades e habilidades de fazer com que todo mundo se sinta em paz e feliz por estar por perto. De você.

Tire a carteira e compre um carro azul. Ou amarelo. Está bem: o preto! 

Parabéns por ter parado de beber café compulsivamente! O seu estômago agradece. Parabéns também por ter sido mais organizada, menos chorona e sábia na medida certa. Falando em medida certa, não se preocupe: toda mulher precisa perder cinco quilos. Sempre. Você também amadureceu mais e ficou com o coração tranquilo, apesar das paixões turbulentas de canto de olho. Eu sei, eu sei. Você nunca se declara. Mas por que não demonstra? Não seja tão rígida com seus sentimentos. Ninguém pode te machucar mais, minha menina.

Obrigada por ter ajudado a mãe e o pai mais vezes. Eles estão cansados, mas tem orgulho de você sim. Da mulher impressionante que se tornou. Eles mal conseguem acreditar que aquela menina que tinha medo de palhaços, hoje lidera sua vida e paga suas contas com a maior tranquilidade. Eles querem que você arranje seu primeiro apartamento logo, e poderem contar pra toda família que a missão deles foi bem executada e que você está feliz, independente e vivendo sua vida.

Viva, antes que o sinal toque.

Aproveite as férias! Dê muitos abraços e saia bastante. Não se esqueça das fotos! Caminhe pela praia, durma tarde e acorde bem cedo para correr e se exercitar.

Nos vemos em mais uma carta ano que vem,
de alguém que te conhece melhor que ninguém. E muito bem.

4 comentários:

Gabi disse...

Acho que qualquer um se identificará em partes com essas metas, essas lições, esse sentimentalismo de fim de ano. Muito bem formulada e planejada. Gostei muito e me deu muita nostalgia desse maravilhoso ano que se encerra.

Jessica Mendes disse...

nossa, comecei a ler e não consegui parar. Muito perfeito, sabe, incrivel.
Amei mesmo.
Estou abrindo espaço no meu blog para os leitores mostrarem seus dons, não gostaria de participar? Você escreve muito bem, adoraria que voce participasse =3
http://valeu-a-pena-esperar.blogspot.com.br/

Carissa Vieira disse...

Muito lindo!
Não conhecia seu blog e fiquei encantada com suas cRônicas. Esta carta ficou fantástica. Parabéns!

Carissa
http://artearoundtheworld.blogspot.com

juliana de oliveira abreu de souza juliana disse...

oi, bom dia, adorei seu blog já estou te seguindo, pode retribuir??http://coffeein-paris.blogspot.com.br/

bjus.

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo