8 de maio de 2011

Essa é a história de como eu me apaixonei por alguém que não existia (parte 2)

 Os minutos quase rastejam. Meu estômago inquieto quase me faz desmaiar e a sensação é pior que qualquer borboleta importunando este mesmo. Respiro com dificuldade e o fato das minhas pernas estarem trêmulas pode me causar um possível vexame. Para ser mais clara, eu quase imploro para minhas próprias pernas não me decepcionarem. Cair na frente de toda essa gente está fora de questão.
 A música ficou lenta e o claro se tornou escuro em questão de segundos altamente imperceptíveis. Respirei fundo e tentei não parecer assustada, desesperada ou psicótica com a porção considerável de coisas repentinas que estavam acontecendo. Pobre Meg
– eu dizia a mim mesma.
 Se eu estava certa, minhas amigas e conhecidas tinham uma olhar totalmente convidativo. Bem, na verdade, elas me obrigaram a levantar e ir em direção a pista de dança; Música lenta e eu sem um par na pista de dança? Elas só poderiam estar brincando ou tentando fazer piada com a minha timidez absurda em situações como esta.
 Aproximando-me dos casais e de meninos parados observando um grupo de meninas rindo do momento romântico, notei que não era qualquer música. Eu poderia reconhecer aquela levada viciante e adorável em qualquer lugar na terra. “She Will Be Loved” era uma das minhas músicas favoritas do Maroon 5, obviamente.
 Sozinha. Mas não por muito tempo.
 Ele se aproximou. Eu corei.
 – Eu me lembro de você.
 – Eu me lembro de você há muito mais tempo, pode ter certeza. Na verdade... Eu sei quem você é.
Ele disse isso deixando transbordar convicção e esboçando um sorriso de canto altamente malicioso. Isso só podia ser um sinal de perigo. Obviamente fiquei sem palavras, mas ele não me venceria. Não mesmo.
 
Então, quem eu sou? – Eu era péssima em impor firmeza em minhas palavras. Droga.
 
Encontro você de meses em meses. Você aparece e desaparece. Você consegue se sobressair mesmo estando perto de muitas outras mulheres, porque você é diferente. Isso me atrai de uma forma estranha e eu não sei se consigo... Deixa pra lá.


Algum leitor assíduo por perto? Bem, mais um casal e mais uma história digna de ser contada em detalhes. Carregada de sensações e muitos pensamentos, esse conto merece ter um fim. Espero comentários, opiniões e tudo mais!

4 comentários:

@BrunLuizz disse...

Interessante.
Obs: Facilita ai achar os comentarios que foi dificil KKKK.

Otima introdução. Acho interessantes essas coisas simples e romantica. É facil você ir numa festa agarrar umas meninas e fica falando depois que ficou com dez.

E eu me pergunto? Qual graça nisso? Claro é bom ser atraente, mas melhor que isso é saber conquistar.

Interessante... Até mesmo porque as vezes esse sentimento de solidão é simplesmente porque se é diferente e é esperar a musica certa pra aparecer a pessoas certa. Aquela pessoa que em uma palavra, que em uma significancia em um beijo torna breves minutos em um eternidade de lembranças.

parabens, estou seguindo o blog \o

Pamella disse...

Liindo demais, um conto fascinante que te prende do começo ao fim, palavra de uma leitora fanática.. Com citações e comparações na meidda certa para encantar i dinamizar sem ficar enjoativo ..
Quero saber de onde veio a inspiração?
Sério não é só porque sou sua amiga ficou muiito legal !!
Continua assim .

bárbara disse...

"– Mais uma dose, por favor. – Ela bateu com o copo no balcão, se apoiando logo em seguida. Estava ficando cada vez mais difícil ver as coisas com nitidez. Aquela já era a sétima dose, um total exagero para ela que não tinha costume de encher a cara, ainda mais em um pub super badalado, em uma noite de sábado, completamente sozinha em meio àquela multidão."

Você lembra dessa história? Fiz uma continuação pra ela. Dá uma olhadinha lá no blog.

Beijos :*

Gleyce Kelly disse...

Thats, você é demais!

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo